Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade no Adulto

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO/HIPERATIVDADE NO ADULTO
RELATO DE CASO
AUTOR: PAULO SERGIO RODRIGUEZ
CRM-SP 29.275
SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SP

RESUMO: Relato do caso clinico mostra que pacientes adultos portadores transtorno do déficit de atenção/hiperatividade apresentam comprometimento funcional em diferentes áreas que deve ser investigado durante avaliação clínica.
Psicoestimulantes são a medicação de primeira escolha no tratamento farmacológico do TDAH em adultos, especialmente o metilfenidato que apresenta mais robusta evidencia de eficácias de numerosos ensaios clínicos randomizados.

CASO CLINICO

LJC é um homem de 46 anos de idade que veio a consulta acompanhada de sua esposa e disse: o motivo da consulta é que ele vê sua filha como seu retrato quando criança , filha do referido casal portadora de TDAH em uso de psicoestimulantes de longa ação com excelente melhora clinica .Ele um empresário do ramo de serralheria há 2 décadas.
Queixa principal do casal sempre teve muita dificuldade em gerenciar o seu empreendimento, memória ruim , ele esquece compromissos, esquece pagamentos da sua empresa, tem falhado em coisas como reposição de peças no estoque ,gerenciamento de suas contas bancária , havendo a necessidade de levar a sua esposa para ser gerente financeira , não conseguia nem anotar os valores do cheques emitidos muito menos seu saldo bancário, causando vários constrangimentos perante seus fornecedores, quando chamado para fazer um orçamento dizia já estou indo , depois de dois dias seus clientes reclamam de sua falta de profissionalismo.
Durante a consulta, o paciente se mostrou desanimado e tendo uma postura como que se desculpando pelas dificuldades que tem tido e suas consequências . nos meses anteriores tinha procurado psiquiatra medicado com 20 mg de fluoxetina com diagnóstico de estresse , nem ele e seus familiares notaram melhora no seu funcionamento ou no seu bem estar,justificando a sua vinda devido a melhora acentuada de sua filha adolescente tanto no desempenho escolar como no humor após ser medicada com metilfenidato de longa ação .
Questionado, nega dificuldade específicas de memória no dia dia, como perguntar repentinamente e contar repetidamente a mesma coisa , bem orientado no tempo e o que mais deixa chateado é que sai muito tarde de sua empresa onde não tem tempo para seus familiares e lazer, levanta muito cedo para carregar seus caminhões para as entregas do dia , chegando a levantar as 04:00 para conseguir liberar a
primeira entrega as 7:00 h, não tem realtos de ser um individuo impulsivo ou hiperativo .
Esposa e sua gerente financeira realta que as dificuldades estejam maiores nos últimos tempos, seu esposo sempre teve dificuldade na organização e gerenciamento no seu dia a dia. Questionado, nega dificuldade específica de memória no dia-a-dia.
Anamnese e historia clinica sempre teve muita dificuldade em atingir seu objetivos.Refere que sempre teve dificuldade com atenção e concentração e teve um desempenho sofrível na escola não terminou o colegial, sempre foi uma pessoa esforçada que queria o bem de todos ao seu redor, conquistava os clientes, mas sua esposa nunca confiou na sua capacidade administrativa. Nunca lia livros e limitava-se a universo que envolvia seu trabalho.
Depois desta introdução foi explicado a ele e sua esposa o diagnóstico de TDAH subtipo desatento iniciado o tratamento no ano de 2009 com doses de metilfenidato de longa ação estabilizado em 30 mg/dia , nas consultas subsequentes sua esposa notou expressiva melhora na capacidade do paciente de gerencias suas atividades, ficou mais focado no seu dia a dia , melhorou a sua disposição em ouvir mais , comunicação com os filhos e com seus clientes
Relatava que após as 15:00 notava a novamente a desatenção e desorganização, sendo feito uma dose aditiva de 10mg de ação rápida que melhorou suas queixas clinicas.fazendo uso continuo por dois anos , sentiu no final de 2011 que podia ficar sem está dose de 10 mg após as 15:00 h. onde foi suspensa Atualmente o tratamento segue na dose de 30 mg/dia.