Fórum mundial da American Academy of Sleep Medicine e da Sleep Reseorch Society e da Reserarch Society

Palestra sobre Narcolepsia: desafio no diagnóstico e soluções, que mostrou sintomas clássicos da narcolepsia, incluindo sonolência excessiva diurna, catalepsia e outros fenômenos  relacionados ao sono não REM (rapid eye moviment) , sendo eles paralisia do sono, alucinações hipnagógicas ou  hipogônomicas  ambos acontecendo em 40 a 80% dos casos. Sono fragmentado em mais de 50% dos casos com outros transtornos do sono concomitantes; apnéia obstrutiva e central do sono (10-20%), movimentos periódicos dos membros ( 40 a 60% ); transtorno comportamental do sono REM (10 a 30% ); parassonias não REM (sonambulismo, terror vespertino, sonilóquios: 20% ; obesidade leve  (aumento do IMC 15% ); e depressão ( 25)%

Cataplexia consiste em episódios de fraquezas muscular  breves, que duram, em media, 2 minutos desencadeados por fortes emoções, como riso ou sustos, frustrações ou raiva. Marcador biológico fundamental para o diagnóstico etiológico da narcolepsia é a hipocretina, neuropeptídio hipotalâmico que se apresenta em níveis baixos no liquido céfalo raquidiano em pacientes narcolépticos.

Narcolepsia freqüentemente inclui sono fragmentado, depressão, obesidade e outros transtornos do sono, para que se estabeleça um diagnóstico correto deve-se atentar para: A) História bem definida de Cataplexia.

 B) conhecer as limitações do testes de múltiplas latências do sono. c) Assegurar condições ótimas para o teste de múltiplas latências (medicações, ausência de privação de sono próximo ao exame, corrigir o tempo de sono.

 

Denver – EUA, 11 a 15 de Junho de 2016